A minha quase linda história de amor

5 Comments
Eu tenho quase certeza de que quase ninguém da minha cidade lê o meu blog. Mas quem lê, deve gostar muito de mim. Então, eu não vejo problemas em contar essa história aqui. E se tiver problemas, eu não ligo. O blog é meu e eu uso ele do jeito que eu quiser. Desculpem a grosseria.
Me senti inspirada a fazer esse post depois do recente acontecimento na minha vida que logo vocês vão entender o que é. Eu tive uma história muito bonita, até certo ponto. Essa história inspira minhas amigas e etc e tal, então decidi compartilhar essa história, já que quem sabe um dia, isso inspira algum de vocês aí do outro lado da tela. Mas chega de enrolar e deixa eu contar a história.
Era Maio de 2013. Eu era aquele tipo de menina "quase emo" que usava lápis preto para ir pra aula e só usava camisa de banda. Odiava qualquer outro estilo musical que não era rock e só me preocupava em ver animes e ler mangás. Quem sabe até, juntar dinheiro pra fazer cosplay (isso eu consegui, mas foi por amor a aquela personagem mesmo). Resumindo, eu era bem poser e estranha.
Eu costumava sair nas noites de sextas com minhas amigas para a praça principal de Nova Lima. A gente ria bastante e éramos quase felizes. Conhecemos muita gente nova e alguns estão comigo até hoje. Repito, alguns.
Mas foi no meio daquela confusão que eu conheci o Japa (o nome dele não é esse, mas enfim). Como eu era fascinada (ainda sou) com o Japão, eu me apaixonei logo de cara. Aqueles olhos puxados conseguiam me puxar pra dentro da alma dele de um jeito que eu não conseguia explicar. Mas enfim. Uma amiga minha nos apresentou, eu gostei ainda mais dele e parecia que ele gostava de mim. A gente ficou conversando até que ele disse: "Vamos comprar alguma coisa na mercearia". E eu fui. Mas no caminho, ele me deu um beijo. Sim, nós acabamos de nos conhecer e já estávamos nos beijando. E depois, ele me contou que namorava. O que me fez sentir que eu era a pior pessoa do mundo.
Voltando da mercearia, cada um foi pra um lado. Até que eu encontrei com ele de novo. Mas ele estava chorando e em desespero por ter traído a namorada dele. Eu me senti pior ainda. Resolvi ir embora dali e então deixar as coisas rolarem.
Na segunda, ele apareceu na minha casa pedindo desculpas pelo o que ele tinha feito e, dizia ele, que ele estava bêbado. Eu falei que estava tudo bem e resolvemos ser amigos. Eu, o João (meu melhor amigo a 7 anos) e o Japa costumávamos ficar conversando na porta da minha casa. Mas foi em uma dessas conversas que o João teve que ir embora e ficou só eu e ele. Ele (Japa) me chamou pra andar de skate. Mas como eu não sabia, ele disse que ia me ensinar. Eu subi no skate, segurei no ombro dele e fomos andando. Mas eu sentia que ele estava tenso, talvez até nervoso, e perguntei o que tinha de errado. Ele falou para sentarmos na porta de casa e começou a falar:
-Você mexe comigo, Bárbara. Você mexe comigo de um jeito que nem a Fulana de Tal (namorada dele) consegue mexer comigo. Sei lá, mas acho que eu sinto algo muito forte por você.
E então, ele tentou me beijar.Sim, aquilo me penetrou que nem agulha de médico querendo tirar meu sangue. Mas ele queria tirar o meu juízo. Rindo e meio sem graça, ele quis embora. Mas falou que ia passar na minha casa no dia seguinte para andar um pouco mais de skate. Eu esperei, mas ele não apareceu.
Um tempo depois, eu recebo a noticia de que ele estava na casa de um amigo pois estava fugindo da mãe ou algo parecido. Eu nem quis saber os motivos por preocupação com o que poderia vir depois. E mal sabia eu, que podia acontecer.
O pai dele mora em Vila Velha e ele teria que ir morar com ele. Era o último dia dele em Nova Lima e eu tinha que ver ele de qualquer jeito. Fui até a casa do amigo dele e com muita lágrima e raiva, a gente se despediu. Lembro que aquele nosso beijo foi muito estranho, mas isso não vem ao caso.
Eu fui embora muito triste e ainda chorando. Não queria aceitar o fato de que ele não ia ser meu e que ele ia estar em outro estado, bem longe de mim.
Mas como tudo na vida é tempo, eu consegui aceitar essa fato. A gente até namorou a distância por uns meses, mas eu acabei ficando com outro cara. Eu e esse outro cara terminamos esse ano, pois eu percebi que a chama que o Japa tinha acendido no meu coração, quase um ano antes, ainda estava acessa. Foi horrível terminar com ele. Acho que foi a pior coisa que já tive que fazer na vida. Mas foi melhor pra ambos.
Na mesma semana em que eu terminei com ele, eu recebi uma carta. Sim, uma carta escrita a mão, carimbada e com selo. Na verdade , foi a melhor semana da minha vida: conheci, abracei e até ganhei autógrafo da Bruna Vieira, conheci as melhores pessoas do mundo e eu até consegui passar em ciências. Enfim, foco na carta. Era dele. Meu coração pulou, gritou e entrou em choque. A carta dizia que ele não tinha me esquecido e que ele ainda me amava. Nós ficamos trocando cartas e sentimentos daquele jeito, até que ele diz que estava voltando.
E foi assim, no dia 28 de junho ele voltou. Mas nós só nos vimos no dia 29. Ele me pediu em namoro, fomos na casa da minha melhor amiga e ficamos o dia todo juntos tocando violão. Já que era férias, nós nos encontrávamos todos os dias.
Mas na sexta, uma semana depois que ele voltou, ele foi naquele encontro a noite que costumávamos ir. Mas eu não fui, pois estava em Divinópolis. Não quero dar muitos detalhes, mas foi naquele dia que ele me traiu. Fiquei arrasada, decepcionada, tudo junto. Eu o amava muito e queria ficar com ele. Aliás, eu ainda quero. Mas não dependo só de mim. A gente terminou, óbvio, e eu sofri muito por muito tempo.
Mas, no dia 8 de Agosto, ele apareceu lá em casa pedindo desculpas e disse que queria voltar comigo. Ouvindo todos os conselhos de "traiu uma vez, trai de novo" eu disse que iria pensar. Pensei, juro que pensei. E decidi perdoar, já que eu prefiro quebrar a cara sabendo que não era pra ser do que passar a vida pensando no que poderia ter acontecido.
Estava nos meus planos ir na casa dele, entregar uma carta que escrevi e ver um sorriso no rosto quando eu falasse "tá bom, eu volto". Mas eu recebi uma mensagem da minha melhor amiga mostrando que ele tinha acabado de entrar em um relacionamento sério. Eu não tenho facebook, então nem fiquei sabendo logo de cara. Mas ela disse que mandou uma mensagem pra ele e ele respondeu dizendo que cansou de esperar decidir se eu gostava mesmo dele e se eu queria algo sério. Mal sabia ele, que isso é tudo que eu sempre quis.
Não sei o que será da gente agora, tanto porque eu acho que essa história ainda não acabou. Mas vamos fingir que sim, porque nenhum coração é de ferro.
Então essa, é a minha quase linda história de amor. Se acaba aqui eu não sei. Mas eu tinha que compartilhar isso com alguém, de alguma forma. E como meu blog é como um diário pra mim, aqui estou eu.


You may also like

5 comentários:

  1. Ainnn Bah! Fica assim não, quando você achar alguém que te mereça vai dar tudo certo!

    ResponderExcluir
  2. Noossa que história Bárbara. Eu também já passei por uma situação assim, só que ao contrário de vc, eu não fiquei com ele :( mas sabe, hoje eu agradeço a Deus. Só agora fui perceber que ele não era pra mim. O mais chato mesmo é quando a pessoa chega, ilude e vai embora .. :/ mas com certeza vai aparecer um alguém melhor pra vc.
    divadecristal.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tem razão! mas as vezes, as coisas ruins vão embora para surgirem coisas melhores

      Excluir