O que não faz (e faz) sentido

2 Comments


Existem umas quarenta mil definições para felicidade. E nenhuma delas está errada. "Felicidade" é uma daquelas palavras que, quando te perguntam o que é, ninguém sabe definir de primeira. Aliás, ninguém sabe definir. As vezes, é estar perto de alguém que gostamos, comer uma comida gostosa ou simplesmente, um dia frio. E não é dever de ninguém definir a felicidade, até porque isso é impossível. E esse é o legal da felicidade: ser indefinida.
Me perguntaram na prova de religião, o que é felicidade. Tenho certeza que errei essa questão, mas isso me martelou por dias. Achei injusto, já que qualquer resposta estava certa, mas descobri que não era bem assim. Era para escrever um parágrafo de cinco linhas e acabei escrevendo um texto.Mas como eu iria explicar que a felicidade varia, assim como a temperatura de ebulição das substâncias não puras? Meio difícil em cinco linhas, né?
A felicidade está em tudo, sabe? Em estalar os dedos, em sentir um perfume gostoso. Mas a real felicidade, aquela que dura pra sempre, ainda é estudada. E quem sabe, nunca acharemos as respostas que precisamos. E aceitar isso, pode até doer menos.
A felicidade é uma coisa muito complexa, e ao mesmo tempo muito simples. Você pode torna-la difícil de entender quando começa a questiona-la. Ou pode simplesmente... sentir. E absorver todas as memórias legais que essa tal felicidade trás. E como a curiosidade matou o gato, lá fui eu caçar respostas. Eita menina que gosta de sofrer!
Eu não sei o que é felicidade - e nem faço a questão. E acho que ninguém sabe o que é. Mas a felicidade é como um pacote que trás o conforto, a confiança, a segurança e - como não podia faltar - o amor. Ah, o amor. Aquele sentimento que consome seus ossos e ocupa seus órgãos, um por um. Não que isso seja uma coisa ruim. Que coisa, né? Se a felicidade é tão boa, por que trás tanto sofrimento?
Para entender a felicidade, devemos dividi-la devidamente, e entender cada parte, para depois juntar todos os pedaços. A felicidade é um nada, que com o tempo, se torna um tudo. Que confusão! Já estou começando a ficar enjoada.
A felicidade são fogos que acendem sem precisar de artifícios. "E ter felicidade é ser feliz?" pensei sozinha. Não necessariamente. Mas não chega a ser uma frase errada. E mesmo assim, não adianta tentar falar o que é a felicidade, porque ela não faz lá muito sentido. E se fizesse, não seria tão complicada - e ao mesmo tempo, tão simples.
E esses aí que vivem em busca da felicidade?Ah, que pena que tenho deles. A busca nunca vale a pena. A felicidade está aqui, pertinho da gente, mas não queremos ver. E se ela fosse comprada, vendida ou trocada, não teria tanta graça. O legal da felicidade, é poder cria-la do jeitinho que queremos, e não poder senti-la.
O legal da vida é ter uma felicidade clandestina, intrusa e - desculpem- uma vadia. Por não existir, existir e nos iludir.




You may also like

2 comentários: