Borboletas

1 Comments

Elas se foram.
E talvez, só Deus sabe para onde.
Elas sempre se vão.
Elas batem as asas, levantam voo.
Se despedem de tudo
e vão para um lugar onde tudo seja tão colorido
quanto as suas asas.

Elas se foram
de novo.
E dessa vez,
eu sei que elas não voltam.
Talvez seja melhor assim,
um jardim sem flor,
sem cor.

Sabe essas borboletas?
Em um época nem tão distante
elas conseguiam me suportar.
E nem que seja por um pequeno instante.
elas podiam que carregar.
Me guardavam na estante,
e conseguiam me escutar.

As borboletas são seres livres.
Parecem algo que os céus não conseguem explicar.
Elas são muito frágeis pra voar.
Muito lindas para ficarem no mesmo lugar.
"Borboleta é como flor,
que o vento tirou pra dançar."

Elas estão em todo lugar.
Na janela, no quarto.
No estomago, então...
Eita bicho que não para de mexer!
Mas por mim, continuaria assim.
Borboletas e amores
são sempre muito aceitos dentro de mim.

Era engraçado.
Eu me sentia protegida,
por insetos tão frágeis e sensíveis.
Para elas eu era alguém.
Mas talvez, eu não seja alguém.
Para ninguém.
Muito menos, para mim mesma.





You may also like

Um comentário: