Eu sinto árvores por você

18:24

Scott Pilgrim VS The World 
Eu perdi muito tempo da minha vida tentando mudar o meu jeito de ser. Tentando ser alguém que eu não sou. E isso, de certa forma, me machucou muito ao longo desses anos. Eu sou de me apegar demais, e eu nunca vi isso como uma qualidade (não que isso seja). Mas eu me entrego demais, sabe? Amo demais.
Eu brinco (na verdade, eu falo sério) que a única coisa que eu sei fazer é amar. É a coisa mais fácil do mundo, se você for parar pra pensar. São só quatro letras, um significado reduzido. Mas lidar com isso, é tão complicado... Eu só sei amar. E você não tem ideia de como eu quero tirar isso da minha personalidade.
Eu tenho uma coisa que chama "Síndrome do não", ou seja, todas as minhas tentativas ou perguntas serão negadas. Nada dá certo pra mim, principalmente, quando o assunto é a palavra com "a".
Palavra com "a"? Que palavra com "a"? Árvores?
Árvores, que seja! Talvez as árvores sejam menos complexas. Talvez, essa seja a única palavra que importa.
Na real, a maioria dos caras que eu me apaixonei eram/são completos babacas, e o motivo realmente não importa. Mas o que eu tirei de cada um deles, foram belas palavras e aprendizados que com certeza vou contar para as minhas filhas.
A culpa dessa babaquice toda, é deles? Não. Eles são quem eles podem ser. Eu não sabia onde estava me metendo e como se jogava aquele jogo. Eu só entrei em suas imensidões e confusões, sem saber para onde esse barco iria.
Por isso, eu penso muito antes de me apaixonar. Não que isso seja ruim. Mas cuidar de árvores é uma coisa complicada. Todas tem seus defeitos e suas dificuldades (e babaquices). Então, eu decide só me apegar a quem realmente vale a pena (falando assim parece que eu escolho isso, mas não). O amor, meus queridos, não é uma rosa. É uma floresta inteira.
O amor? O amor é isso de se apegar demais. De fazer de tudo por alguém. De sentir o perfume da pessoa na rua e bater uma saudade. De sorrir sempre que lembra da pessoa. O amor é tudo o que a gente tem. De todos os tipos, formas ou sabores.
Quando a gente perde e vê isso só no final, é quando a gente percebe o quanto as árvores são valiosas. Quer uma dica? O amor sempre vale a pena. Não importa os sacrifícios,  as dificuldades ou os obstáculos. O amor de verdade é tão automático, que você vai saber quando ele chegar.
E quando ele chegar, cuida bem dele para ele não ir embora.

Scott Pilgrim's Precious Little Life: To Ramona






You Might Also Like

0 comentários