Lembranças

16:04



Ei.... Será que você lembra? Naquela noite de sábado, quando a gente voltou da Savassi. Ganhamos um porta retrato de um hippie brother que vendia sua arte com as coisas que a natureza dá. Depois de um dia em que você me fez rir até minha barriga doer, e que eu - quase - fui dormir sorrindo de orelha a orelha? E que nesse dia, um tempo depois de você me deixar em casa, você apareceu na minha varanda, com uma garrafa de rum e um olhar misterioso, perguntando se eu queria namorar com você. Tipo Romeu&Julieta mesmo. Que pergunta estúpida! Era tudo o que eu queria...

Será que você lembra, também? Nós tínhamos lá nossa uma semana, e fomos assaltados na pracinha do lado da minha casa. Mas você conseguiu me acalmar, com seu abraço, seu carinho, seu toque. Eu consegui me recompor, te olhei e pensei: "Pelo menos não levaram ele de mim". E olha, que já me levaram tanta coisa... Eu ficava esperando alguma resposta, mas eu não sabia que você dava suas respostas apenas com uns benditos olhares, e eu nunca consegui decifra-los.

Ah, se aquele banquinho falasse... Contaria umas histórias que virariam best-seller de primeira. Haja escritor apaixonado pra contar tudo o que aconteceu lá. Acabou que depois do incidente, nunca voltamos. Descobrimos outros cantos, pulamos alguns muros. Mas eu sabia que não importava onde a gente estava. O importante era a gente estar juntos, seja lá onde for e quando for.

Nós descobrimos tantas coisas. Nós meio que lutamos contra tantas trevas. O meu lado escuro, você iluminava. Meu lado seco, você molhava. Meu lado chato, você animava. Você foi minha salvação, nos dias difíceis e na era da dor. Você era meu refúgio, de tantas coisas que eu me joguei e nunca deram certo. Eu jurava, e pensava, que você era permanente. Que você era a única coisa que eu consegui "fazer direito". Mas bem... eu tenho o magnífico dom de estar errada.

Você se lembra? De todas as primeiras coisas que fizemos juntos, e de cada pedacinho que descobrimos um do outro? Da época em que tudo era novo, e a gente nem ligava pra isso. Era divertido. Brincar de gente grande, brincar de se apaixonar. Mas a gente não sabia que isso era uma brincadeira séria. Quem mexe com fogo, se queima.

Lembra da vez, lá naquele cinema, em que você olhou no fundo do meu olho e disse que me amava? Eu nunca me senti tão protegida da vida. O mundo poderia quebrar lá fora, mas desde que eu estivesse enrolada em seus braços, estaria tudo bem.

Eu, sinceramente, não quero desistir de tudo isso. Não quero ter que esquecer essas coisas para ter que seguir em frente. Não sei se devo continuar nessa de tentar e me machucar, ou se devo deixar você simplesmente... Ir. Não é assim que funciona?

Mas bem, eu me arrependo. Arrependo de ter sido tão "Bárbara" com você, e eu queria fazer mais promessas, mas acho que você não vai mais acreditar nelas. Mas do fundo do meu coração, eu espero um dia poder voltar a ser sua, e que a gente vire um só.

E você lembra? De todos os planos que, querendo ou não, acabamos fazendo? De todas as loucuras, de todas as risadas, todos os sorrisos roubados. Todas as cócegas, todas as provocações, todo ciúme bobo.
Ei... será que você lembra? Que eu entrei nesse jogo, sem nem saber jogar? Mas eu acabei perdendo, mesmo.

Não sei se você se lembra, as eu não sou todo esse poço de defeitos e reclamações. Eu tenho lá minhas coisas boas e que valem a pena lutar. Sei que se eu fosse eu, manteria distância de mim mesma. Sei que eu não sou lá essas coisas. Mas pelo menos, eu sentia que eu era pra você.
Eu queria que você voltasse. Dessa vez e quantas vezes fosse necessário. Para a gente aprender que o mundo sem o outro é um inferno, e que não tem tantos motivos para viver. Até tem, mas eu não quero viver tudo isso sem você.
Me desculpa. Eu errei. Eu te amo. E vou te amar, até as rimas dos poetas acabarem.

Baby I'm Yours - Arctic Monkeys 


You Might Also Like

0 comentários