Oi, perdi o interesse

1 Comments


Oi, perdi o interesse. Aquele interesse que eu guardava no fundo do meu coração, em crescer com você e te levar comigo pra onde eu for, ou ir com você pra onde você for. Eu perdi o interesse. Eu perdi as cartas que você me mandou, as cartas que um dia eu escrevi e nunca enviei. Acredito que você queimou as que eu te dei, o CD que gravei. Mas pra mim, isso nem importa mais.
Eu perdi a vontade de beijar a sua boca quando te vejo descendo a escada. Perdi a alegria em te ver sorrindo das minhas piadas, ou o aperto que sentia no coração quando você chorava. Me perdi no caminho que me levava até você, e nem me importo mais em chegar onde deveria chegar. Eu estou no lugar certo agora, e ninguém me tira daqui.
Eu cansei de olhar para trás, ouvir suas mentiras, pensar nas suas infantilidades. O que um dia foi nós dois, nem história foi capaz de virar. Você não deixou rastros para que eu pudesse te seguir. E que bom que você fez isso. Mas é uma pena que tenha ido embora.
No fundo, no fundo... Nem é tão pena assim. Mesmo lembrando das coisas boas e só ter absorvido as memórias gostosas, os aprendizados e as risadas de domingo a tarde, eu tenho que levar a parte ruim também. E hoje em dia, que eu nem olho mais pra trás e muito menos pra frente, eu me questiono o quanto foi realmente real.
Não importa o que foi real ou não. O passado que guardo é escuro, e não aceita luz. Mas meu futuro, meu bem, é brilhante. E não vou deixar você ofusca-lo. Não mais. Cansei de me prender em tais esperanças e ilusões que você me amarrou um ano atrás. Cansei se imaginar e criar situações em que tudo vai ficar bem. Mas tudo já está muito bem.
Eu perdi a vontade de ficar. Eu voltei várias vezes, mas agora, eu não quero mais. Coloquei meus sapatos, liguei o GPS, procurei um caminho novo pra seguir. Eu não sei pra onde eu estou indo, muito menos o que você encontrar lá. Não estou com expectativa nenhuma, muito ao contrário do que eu era há algum tempo atrás. Mas é aquele ditado: Eu mudei.
Perdi o interesse em você. Você me parece tão mais sem graça e menos bonito de quando eu te deixei. Eu te olho, e só vejo um coração que não sabe o que quer, e não tem o que sabe. O que houve, meu bem? Deixou outras coisas partirem também? Ah... Essa sua mania de não correr atrás dos seus sonhos. Afinal, você tem sonhos? Pra onde você vai?
Eu até te ofereceria uma carona. A gente poderia parar para tomar um café, jogar conversa fora. Mas nossos caminhos não se cruzam mais. Eles são diferentes agora, quando um dia já foram iguais. Mas tudo bem, as coisas são assim.
Perdi você e com você, todas as coisas que me faziam sofrer. Eu era cega, admito. Te via muito melhor do que você realmente é. E eu me diminuía para ficar do seu tamanho. Que loucura, né? Hoje eu olho lá trás e olho o tanto que eu mesma me fazia mal. Acabei me congelando de tanto ficar perto do seu coração frio.
Passou. Hoje eu voltei a ser quente, acolhedora. Meu sorriso voltou a ser sincero, minhas noites são bem dormidas, meu coração voltou a bombear sangue. Choro só de saudade, mas acabo sorrindo no final também.
Agora tá tudo bem. Viu como tudo sempre dá certo?
Tchau, perdi o interesse. Na verdade, acho que nunca tive.




You may also like

Um comentário:

  1. E eu queria tanto conseguir pensar assim,na verdade eu penso assim mas o problema é que eu tenho o estúpido medo de deixar ele de lado e ele se arrepender de não estar perto de mim...eu tenho o estupido medo de perder momentos felizes com ele por pura vontade de esquece-lo e de parar de sofrer...

    ResponderExcluir