Outono

0 Comments

Eu não tenho como te agradecer por ter me mostrado como viver vale a pena. De repente, tudo voltou a fazer sentido e hoje eu consigo sorrir verdadeiramente, sem ter nada escondido por trás disso. Depois de tanto tempo me guardando de tanto medo, de tanta solidão, você apareceu e me mostrou que a vida não é tão preto no branco assim.
Você me mostrou tantas coisas incríveis em tão pouco, que talvez apenas um blog esquecido na internet não seja o suficiente para escrever sobre isso tudo. Os filmes que você me mandou, as músicas que escutei, as histórias que você me contou... Tudo parece ter saído de um livro de contos de fadas, daqueles que nem a Disney - quem dirá a Pixar - ousaria produzir de tão clichê que é. Com direito a "Era uma vez" e o tão esperado "Felizes para sempre".
Você me deu motivos para continuar, mesmo quando tudo pareceu estar sem saída. Você foi minha luz no fim do túnel quando eu estava quase me entregando à escuridão. Os dias já não parecem tão longos, esse clima frio já não me desanima mais e eu comecei a apreciar o lado bom da vida, que sempre esteve por aí esperando que eu olhasse pra ela.
Eu tinha me esquecido de como era ser feliz. Não que eu tenha terceirizado minha felicidade, longe disso. Mas eu precisei de você pra segurar a minha mão e me levar até ela de novo. Me mostrar que sim, existe um sentido nisso tudo e que eu não preciso passar por isso tudo sozinha. Isso pode ser tão louco e tão errado, mas acho que eu já deixei bem claro que eu não ligo muito pra esteriótipos. Eu gosto de você e gosto do jeito que a gente tá erradamente certo. É pedir demais desejar ser sua até o fim da minha vida?
E então eu descobri que se apaixonar por alguém é muito mais do que se entregar inteiramente e idealizar realidades na cabeça. É sobre sentir. Só isso. É sobre romantizar a folha que cai da árvore no inicio do outono, ou gastar cinco páginas falando de como você é lindo. Vai ver é isso que torna a paixão uma coisa tão bonita, digna de clássicos do José de Alencar. É se permitir dar voz a um sentimento (tão louco) sem se preocupar com o final e ver o que ele tem pra te falar. Pode ser coisas que você nem imagina que existiam aí dentro...
 É como se o fim não importasse tanto mais. Quando você começa a ler um livro, você não pula para a última parte, certo? É isso que é se apaixonar. Aproveitar cada segundo, cada letra, cada palavra, e o que vier depois sempre vai ser lucro, porque eu tive a honra de passar cada pedacinho do meu tempo com você. Me diz se eu não ganhei na loteria por isso.
E também, não é sobre querer dar um nome a esse tal sentimento e tentar entende-lo. É dar a mão para o destino e sair dançando com ele por ai, para ver até onde ele te leva. Sem se preocupar com os passos errados, com a música desafinada ou qualquer outra coisa.
E eu juro pra você que eu nunca me senti tão livre para sentir o que eu quiser por quem eu quiser na vida. É como se eu estivesse esperando a vida toda por alguém, e agora que esse alguém apareceu, tudo começou a fazer mais sentido. E por Deus! Como eu sou sortuda por esse alguém ser você.

Leia ouvindo: For Emma - Bon Iver


You may also like

Nenhum comentário: