Algumas coisas que eu preciso te dizer

13:19



Eu sei que faz algum tempo que eu não escrevo sobre você. Sei que tudo anda meio confuso e que, talvez, a gente tenha perdido o rumo de casa nesses últimos dias. Eu ainda estou engasgada, querendo soltar tudo o que tá preso aqui dentro, mas eu não consigo. Não agora. Em algum momento eu sei que o Sol vai abrir e que tudo vai voltar a fazer sentido, igual sempre fez. Até eu conseguir me por no meu lugar, fica difícil explicar em detalhes quem eu sou, onde estou e o que estou fazendo. Mas eu tenho algumas coisas pra te dizer. E espero encontrar um jeito de fazer isso.

Em primeiro lugar, eu amo você. Sei que o clichê dessa frase é inegável, mas clichês são clichês por algum motivo. E entre tantas perdas e tantas fugas, eu acabei descobrindo que o mundo sem você é sem graça demais pra se viver. Eu não sei ainda o que o amor faz com as pessoas, se ele é uma simples droga ou se ele é uma substância vital. Ou se ele não é nada disso, mas a gente gosta mesmo assim. E eu não estou aqui pra te provar que o que eu sinto por você é verdadeiro, mas de alguma maneira, eu só queria te pedir desculpas. Não por ser quem eu sou, não por ter feito algo errado, mas sim por ter esquecido que eu sou a pessoa mais sortuda do universo.

Sempre que você me estressa eu paro e lembro que existem oito bilhões de pessoas no mundo. E dentre essas oito bilhões, de alguma forma milagrosa, a gente se encontrou. Foi rápido. Foi intenso. Foi inconsequente. Mas ao mesmo tempo, foi a coisa mais verdadeira que eu já ousei tocar. E eu sei que eu preciso entender que, por mais que o amor seja muito mais do que quatro letras formando uma palavra, nós também somos muito mais do que isso. Explosões são necessárias para recomeçar e o recomeço é necessário para ajustar algumas peças soltas. De repente, tudo ficou vulnerável demais e eu desabei.



 Eu sinto sua falta.

As palavras continuam escorregando no papel, como sempre fizeram quando eu falo de você. Mas dessa vez, não é só a caneta que está escrevendo. Por mais externa que eu seja, eu ainda tenho um orgulho imenso, que você vem diluindo desde o dia que eu te vi descendo daquele ônibus. De óculos escuro, com cara de mau como se nada mais importasse. E não é que todo o resto pareceu completamente inútil depois disso? Mas, mesmo com tanta emoção em cada passo que damos juntos, eu ainda tenho medo de me entregar. Não só à você ou à nós, mas tudo me parece uma ameaça constante. E eu acho que estou quebrada demais para me arriscar.

Aos poucos, você conseguiu tirar a pedra que tinha no lugar do meu coração e me transformar em alguém completamente diferente. Mas não foi uma mudança daquelas pesadas e rudes. Foi leve. Foi simples. E se hoje eu sou quem eu sou, muito mais calma e verdadeira comigo mesma, eu devo isso àquele "oi" que você me deu sem pretensão alguma. E agora, estamos crescendo. Se em algum momento o fim lhe pareceu uma opção, sinto em te dizer que eu ainda vou te chutar muito enquanto eu durmo. Sem citar todas as tardes que passamos deitados sem precisar falar uma palavra, pois, só a sua presença já quebrava todos os muros que existiam dentro de mim. Foi uma revolução.

Em algum momento, eu esqueci que eu posso voltar a ser uma adolescente apaixonada sempre que eu quiser. Fui consumida pela vontade de crescer e deixei pra trás toda a doçura e inocência que é amar, e simplesmente amar, sem barreiras. E até onde eu me lembro, desde o inicio, nossa única preocupação era essa. Amar, incondicionalmente, onde quer que estejamos. Preciso te agradecer por todo esforço, por todas mãos dadas, por todo carinho de dedo. Você só não é o amor da minha vida porque você me ensinou que só eu posso ser o amor da minha vida. E eu só não te amo mais porque esse cargo tá ocupado e tem meu nome nele. Obrigada por ter me dado asas e nunca ter cortado-as, mas sim, me ensinado a voar.

Leia ouvindo: Call it waht you want - Taylor Swift

You Might Also Like

2 comentários

  1. amei o texto!!!!
    visitem doiscactos.blogspot.com, o blog é novinho mas tem uns textos que valem ser lidos.
    :)

    ResponderExcluir
  2. Que lindo!! Parabéns Babi (posso te chamar de Babi?)! Deu pra sentir a emoção em cada palavra!

    ResponderExcluir