Tic Tac

12:36


E quando fica difícil para levantar? O peito dói, as costas doem, tudo dói. De repente, você olha pra trás e vê tudo o que passou. E onde eu estava? Preocupada demais com o futuro, eu imagino. A sensação que eu tenho é que o dia tem 14 horas apenas. Talvez por alguma mudança no cosmos, uma dessas paradas de física quântica e teoria da relatividade. Ou talvez, eu só tenho dormido mais do que o normal. E escrever sobre o passar do tempo não vai ser algo fácil pra mim. Eu, que sempre cobicei o futuro, começo a desejar que o presente dure um pouco mais.

Não sei. Talvez eu não esteja pronta pro que está por vir. Fecho os olhos e, de fato, enxergo a plenitude. Mas caramba! Nunca nem imaginei que eu chegaria até aqui. Sei lá, achei que eu iria morrer antes. O tic tac do relógio, se tornou um poema pra mim. Esquisito, mas um poema que, apenas com uma onomatopeia estúpida, pode resumir os últimos 17 anos da minha vida, mas não os próximos 60 e poucos.

Não vou me fazer de corajosa e fingir que isso tudo não me assusta. Eu tenho medo. Cresci rápido demais, eu nem vi o tempo passar. Será mesmo que essa é a hora certa pra entrar no jogo? Bom... Não existe hora certa. A hora certa é sempre o agora. Coloquei meus sonhos nas costas e continuei seguindo em frente, transformando lágrimas em arte e desejando profundamente que o tempo passasse. Continuo com os sonhos na bagagem, mas tenho a impressão de que esqueci alguma coisa no caminho. Mas tudo bem. Mesmo se eu tiver esquecido, tenho certeza de que vou saber me virar sem isso. Seja lá o que "isso" for.



A vida é uma loucura: cada um tem a sua e a gente tenta aprender um pouco com a do outro. E por mais que eu tenha ouvido de várias bocas que eu vou sentir falta dessa época da vida, eu só vou saber na essência quando acontecer.

E quando o coração começa a bater rápido demais? Pelo menos ele está batendo. Quando as palavras ficam presas no esôfago junto com os restos que guardei a vida toda, chega um hora que vomitar tudo pra fora é inevitável. Ciclos se fecham. Se iniciam. E ninguém precisa, necessariamente, estar preparado para isso. Apenas não fuja, pois, não dá pra fugir da vida - e quem dirá, da morte.

O meu conselho pra quem fica é o de sempre: respire, tome um banho quente e tente de novo. Você não precisa correr contra o relógio, já que tempo é uma ilusão inerente que só serve para criar mais angústias e frustrações. Seu relógio cardíaco continua funcionando? Siga-o. Ouça-o. Faça do tic tac seu poema favorito e não deixe que nenhum Fernando Pessoa mude isso.

Mas quer saber? Não ouça meus conselhos. Eu ainda não faço ideia do que estou fazendo. Estou tão perdida no espaço-tempo quanto qualquer um aqui.

Leia ouvindo: Heroes - David Bowie

You Might Also Like

0 comentários