Saudade

12:38


Leia ouvindo: Fora de Foco - Manu Gavassi 

Fiquei pensando, basicamente durante o domingo inteiro, se eu deveria escrever esse texto. Ás vezes, o coração fala mais alto do que eu consigo ouvir e preciso organizar as coisas. Coisas essas que eu nem sempre gosto. Essa crônica não é sobre o que devemos esquecer, sobre o recomeço que nunca vai chegar. Eu sinto falta de escrever sobre o jeito que, com você, eu sou sempre uma adolescente vivendo um sonho. Realizei minhas primeiras fantasias ao seu lado e não queria deixar esse sentimento bom se diluir no meio de tanta complicação que eu acabei encontrando no meio do caminho.

Eu espero, de coração, que você saiba o tamanho da falta que você faz. A semana inteira eu tive que segurar os dedos para não te mandar alguma mensagem falando sobre como eu estou aflita, ou extremamente feliz com algumas pequenas conquistas que têm me deixado transcendente. Você ainda faz parte da minha vida, por mais que eu tenha ido embora da sua. Em vários momentos eu me pego pensando em você e em algum momento que passamos e é, literalmente, um flashback horrível que me faz sentir como se eu pudesse te tocar por alguns míseros instantes. Eu encaro o horizonte, viajo por uns instantes e, no meu rosto, estampa um sorriso tão singelo, mas tão profundo, que, adivinhe? Tem seu nome.

Eu entendo que essa saudade toda vai passar, infelizmente. Mas queria registra-la enquanto ela está aqui, sendo coisa boa, marcando seu território com tudo de incrível que construiu nossa história. Acabei aprendendo a não encarar sua partida como uma coisa triste, mas sim, como só mais uma batalha que vai me transformar em alguém muito melhor de quem sou hoje. Você teve seu momento para me transformar e foi ótimo aprender tudo o que você tinha pra me ensinar. Mas, de alguma forma, eu preciso aprender alguma coisa com essa falta que você faz. Cansei de deixar você me completar - sinceramente, tenho tido pavor de passar tempo demais com as pessoas -, e agora quero só caminhar do seu lado. Ou, pelo menos, te assistir caminhar em busca dos seus sonhos enquanto eu faço o mesmo.

É impossível citar todas as coisas que me fazem falta. Em alguns momentos cruciais do meu dia, você aparece e marca presença no meu peito. Uma parte de mim deseja profundamente viver tudo de novo, mas, outra parte sabe que isso não pode acontecer porque, se acontecer, vai atropelar um tanto de outras histórias que a gente ainda tem pra viver. Nunca pensei que eu ia conseguir amar tanto uma pessoa que não pode, que não consegue ficar comigo. Mas eu amo. E não só te amo como também amo tudo o que a gente passou junto. Ficar do seu lado foi, sem dúvidas, a melhor coisa que já me aconteceu na vida. E de forma alguma - acabei demorando um pouco pra aceitar isso - eu conseguiria sentir outra coisa senão gratidão por você.


Dói. A gente sabe que dói. Fico querendo conversar com você o tempo inteiro e dividir a cama de novo, mas não posso. Essa coisa toda de desfazer laços é muito mais difícil do que eu achei que seria - estou chorando depois de meses sem conseguir derramar uma lágrima sequer. Mas eu entendo que é algo que precisa acontecer se a gente quiser continuar, de certa forma, sim, juntos. O que esse "juntos" vai significar daqui um tempo, eu não sei, não depende de nós. No fim, "nós" nunca dependeu de nós.

De qualquer maneira, esse texto foi apenas uma tentativa de te avisar que eu ainda estou aqui, sentindo sua falta diariamente - por enquanto. Digo por enquanto porque eu quero muito ter a chance de te reconquistar, com uma nova versão minha. Mais feliz, mais saudável, pronta para levar a vida a sério e não cair sempre que tropicar. Quero poder trocar olhares, sorrisos e viver todo esse sonho adolescente de novo. Ainda não sei como fazer isso e, sinceramente, não quero saber. O que sei é que estou extremamente feliz com meu presente e apenas alguns fatores do futuro me preocupam, e
você não é um deles.

Eu sou uma pessoa muito diferente. Bem diferente do que eu achei que um dia seria. Mas, no fundo, eu sou extremamente apaixonada por quem eu me tornei - mesmo que eu não saiba exatamente "quem" eu sou. Daqui uns meses, uns anos, não sei, quem sabe, esse cenário tão utópico não vire realidade de novo. Você mesmo disse que São Paulo é minúscula para duas pessoas se trombarem durante a semana. Sempre vou estar te procurando, te pesquisando, pensando em você. Torcendo para que, um dia, meus pensamentos te atraiam e a gente possa, finalmente, ir naquele restaurante que ficamos um ano inteiro enrolando pra ir.

Não vou encerrar o texto e começar o parágrafo dizendo que eu te amo por dois motivos: eu não preciso repetir isso porque você sabe e acho que lembrar de um amor que não é concreto pode ser só mais torturante para nós dois. A única coisa que eu queria dizer é que estou morrendo de saudade e esperando ansiosamente o dia que você for voltar - ou for embora de vez. Eu sempre vou estar aqui, sendo a mesma que você deixou, mas, ao mesmo tempo, alguém completamente diferente.


You Might Also Like

0 comentários